Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Os Biomarkers revelam o aumento na incidência do cancro de tiróide entre que respondes de WTC

A incidência do cancro de tiróide entre os primeiros que respondes que se ofereceram ou foram empregados como sapadores-bombeiros, pessoais do salvamento e trabalhadores da limpeza no ponto zero em New York sobre ou depois do 11 de setembro de 2001, é três vezes mais altamente do que aquela na população geral.

Esta diferença foi confirmada por um método que envolve um painel de quatro biomarkers que distinguem benigno dos exemplos malignos do cancro de tiróide com base na expressão genética. Os testes foram desenvolvidos por pesquisadores na universidade federal de São Paulo (UNIFESP) em Brasil em colaboração com colegas na Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins nos Estados Unidos. O estudo foi apoiado pela fundação de pesquisa de São Paulo - FAPESP como parte do projecto temático.

As razões para o aumento na incidência do cancro de tiróide, reveladas pela pesquisa precedente, são obscuras. Em 9/11 e durante um longo período depois disso, os que respondes de WTC procurarados por sobreviventes nos restos e deram primeiros socorros das vítimas após o ataque estrangeiro o mais mortal nunca no solo dos E.U. Dois sequestraram os aviões de passageiros do passageiro causados um crash em World Trade Center (WTC) em Manhattan, causando o colapso das torres gémeas. Um terceiro plano causou um crash no Pentágono no Washington DC. Um quarto plano caiu em um campo em Pensilvânia depois que seus passageiros estragaram os piratas do ar.

Por anos, acreditou-se que a incidência mais alta do cancro de tiróide nesta coorte poderia reflectir o overdiagnosis e os um grande número resultados de falso positivo no programa de selecção post-9/11. Contudo, um artigo publicado recentemente no jornal internacional da pesquisa ambiental e da saúde pública examina os resultados de um painel do quatro-biomarker usado para analisar tumores do tiróide em 37 que respondes monitorados pelo programa de saúde de WTC e compara estes indivíduos com os indivíduos não-WTC-expor combinados para a idade, o género e a histologia.

Os pesquisadores concluíram que nenhumas das avaliações de tumores do cancro de tiróide de WTC geraram falsos positivos e que todas as amostras testadas usando o painel anticorpo-baseado do cancro eram malignos.

Para confirmar os exemplos do cancro, nós usamos um painel que compreende quatro biomarkers capazes de indicar se um tumor do tiróide era maligno ou benigno. Este painel foi desenvolvido por nossa equipe e projectado inicialmente servir como um teste presurgical para os nódulos do tiróide etiquetados indeterminados porque não poderiam definitiva ser classificados como benignos ou malignos. Os marcadores que nós nos usamos são os genes cuja a função no cancro de tiróide é desconhecida e está sendo explorada por nosso grupo.”

Janete Cerutti, professor da genética na Faculdade de Medicina de UNIFESP, e no investigador principal para o projecto temático

Os biomarkers foram desenvolvidos pela equipe da equipe de Cerutti entre 2004 e 2011. Estes testes reflectem a expressão aumentada ou diminuída dos genes associados com o cancro de tiróide.

Após o período de sete anos da revelação, o grupo criou um painel do biomarker que fosse mais simples do que testes convencionais porque é baseado na expressão de somente quatro genes: DDIT3, ITM1, C1orf24 e PVALB.

O teste distingue entre tumores malignos - carcinoma carcinoma do tiróide, da pilha foliculares de Hürthle e carcinoma papillary do tiróide - e lesões benignas, tais como o adenoma folicular do adenoma do tiróide e da pilha de Hürthle, analisando as combinações de marcadores da expressão genética.

“Puncionando os tumores e analisando as pilhas que nós podíamos observou que os níveis da proteína [produzidos pela expressão dos quatro genes] apresentam ou ausente no cancro e determinam desse modo se os tumores eram malignos. O teste ajudará médicos a prescrever tratamentos apropriados,” Cerutti disse.

O método é uns testes mais simples e daqui mais barata do que disponíveis no comércio, adicionou. “É um teste relativamente simples baseado na combinação de somente quatro marcadores. Os painéis de marcador do cancro de tiróide já existem mas são muito mais complexos do que nossos, com muito mais marcadores detectar alterações genéticas possíveis nos tumores.”

O custo do método novo é calculado para ser menos do que um décimo que dos jogos diagnósticos disponíveis comercialmente em Brasil, que pode custar tanto quanto BRL 12.000 (agora aproximadamente USD 3.200) pelo uso.

Evitando a cirurgia desnecessária

O estudo que confirmou o aumento no cancro de tiróide entre que respondes de WTC foi baseado nos dados doados por participantes no programa de saúde do hospital WTC do monte Sinai, que monitora sobre 27.000 que respondes com exames anuais, teste de laboratório e tratamentos para o cancro, doenças inflamatórios e doença mental.

“O programa foi referido sobre o nível elevado de incidência do cancro de tiróide, temê-lo pôde ser devido aos resultados do overdiagnosis ou de falso positivo, mas nós demonstramos que este não é o caso. A selecção e a monitoração anuais podem genuìna detectar o cancro de tiróide em uma fase inicial, aumentando a probabilidade de um prognóstico favorável,” Cerutti disse.

O estudo igualmente confirmou a precisão da técnica desenvolvida por Cerutti e por seu grupo de investigação. “Era muito importante ganhar o reconhecimento do programa de saúde de WTC, validando nosso método com uma população diferente do grupo brasileiro que nós temos testado desde 2011,” ela disse.

De acordo com o instituto nacional para o cancro de Brasil (INCA), o cancro de tiróide é o quinto a maioria de tipo comum de cancro entre mulheres brasileiras. A possibilidade de números excessivos de falsos positivos é igualmente um interesse em Brasil.

“A imagem lactente de alta resolução do ultra-som, capaz de encontrar os nódulos tão pequenos quanto 2 milímetros, aumentou extremamente a detecção de tumores [cancerígenos e noncancerous] do tiróide,” Cerutti disse.

A análise genética dos tumores evitaria a cirurgia desnecessária, ela notou. Os nódulos do tiróide não podem correctamente ser classificados em 30% dos casos, porque as características de pilhas malignos se assemelham pròxima àquelas de pilhas benignas, e o diagnóstico exige a biópsia cirúrgica.

O estudo de que respondes de WTC continuará em duas partes dianteiras, de acordo com Cerutti. A poeira e os restos do colapso das torres serão investigados para os componentes que podem ter influenciado a elevação na incidência do cancro de tiróide, e a equipe igualmente analisará a agressividade destes tumores.

“A análise da agressividade do tumor está sendo executada aqui em nosso laboratório em UNIFESP. Nós quisemos determinar que tipos das alterações genéticas que indicador dos tumores e para identificar os tipos mais agressivos. Nós estamos analisando as mutações associadas com um prognóstico deficiente a nível molecular,” disse.

A equipe igualmente está estudando o papel destes marcadores moleculars na revelação da doença. “Nós sabemos que jogam um papel em sua revelação. Nosso foco é agora descobrir porque aumentam ou diminuem no cancro de tiróide. Este conhecimento fará uma contribuição importante para a prescrição do tratamento, especialmente nas caixas para que o tratamento convencional [cirurgia e radioterapia] não conduz a uma cura,” Cerutti disse.

Source:
Journal reference:

van Gerwen, M.A.G. et al. (2019) Molecular Study of Thyroid Cancer in World Trade Center Responders. International Journal of Environmental Research and Public Health. doi.org/10.3390/ijerph16091600.