As recomendações da directriz para a gestão dos pacientes com TBI severo continuam a evoluir

A evidência nova continua a conduzir a evolução de recomendações da directriz para a gestão médica dos pacientes com lesão cerebral traumático severa (TBI). Um olhar detalhado em como as quatro edições das directrizes da fundação do traumatismo do cérebro para controlar TBI severo se transformaram um padrão global para tratar pacientes e fecham desafios e os objetivos para o futuro são caracterizados em um artigo publicado no jornal de Neurotrauma, um jornal par-revisto de Mary Ann Liebert, Inc., editores.

A “evolução de recomendações da evidência e da directriz para a gestão médica da lesão cerebral traumático severa” coauthored pelo vencedor Volovici, Erasmus MC Rotterdam (os Países Baixos) e colegas de Erasmus MC Rotterdam, centro médico da universidade de Leiden (os Países Baixos), e hospital da universidade de Antuérpia e universidade de Antuérpia (Bélgica). Os autores chamam para que a comunidade de pesquisa de TBI gere uma evidência mais de alta qualidade. A base crescente da evidência precisa então de ser traduzida responsàvel nas recomendações clìnica aplicáveis que beneficiarão pacientes.

Este papel fornece um olhar excelente no refinamento de continuação de nossos processos avaliando a evidência publicada e então incorporando essa evidência em directrizes clínicas. É igualmente importante notar que as recomendações baseadas na evidência a mais forte suportam o teste do tempo em maior medida do que as recomendações baseadas em estudos da baixo-qualidade. Este trabalho é do interesse a qualquer um que usa directrizes clínicas para o assistência ao paciente, a pesquisa, a educação, a melhoria de qualidade, ou a criação das políticas e dos procedimentos.”

Alex Valadka, deputado Editor, jornal de Neurotrauma

Source:
Journal reference:

Volovici, V. et al. (2019) Evolution of Evidence and Guideline Recommendations for the Medical Management of Severe Traumatic Brain Injury. Journal of Neurotrauma. doi.org/10.1089/neu.2019.6474.