O estudo explora o uso do cannabis em pacientes que sofre de cancro adultas novas

O cannabis pode ajudar a aliviar alguns dos sintomas do cancro e do seu tratamento, e um estudo novo examina a predominância de seu uso entre pacientes que sofre de cancro adultas novas agora que o cannabis médico se está tornando cada vez mais disponível. Os factores demográficos e clínicos provavelmente a correlacionar com o uso e as diferenças do cannabis no moderado aos sintomas severos entre usuários e não utilizadores são relatados em um estudo publicado no jornal da oncologia adulta adolescente e nova (JAYAO), uma publicação par-revista multidisciplinar de Mary Ann Liebert, Inc., editores.

Kristine Donovan, PhD, MBA e colegas do centro do cancro de Moffitt, Tampa, FL coauthored o artigo autorizado do “uso cannabis em pacientes que sofre de cancro adultas novas.” No teste da droga da urina para um produto de decomposição do cannabis, mostraram que 30% das idades adultas novas 18 39 das pacientes que sofre de cancro testou o positivo. Os pesquisadores relatam que esta taxa da predominância de uso do cannabis é mais alta do que para adultos novos nas pacientes que sofre de cancro da população geral e do adulto que procuram a gestão especializada do sintoma. Os usuários adultos novos do cannabis eram mais prováveis ser masculinos e, surpreendentemente, relatar ter uns sintomas mais severos, incluindo a dor, a náusea, a falta do apetite, a constipação, e o sono da dificuldade.

Redactor-chefe de JAYAO Leonard S. Remetente, DM, instituto do cancro de Hyundai do hospital de crianças de CHOC, laranja, CA, estados:

Porque o cannabis se torna legal para o uso médico e recreacional em mais estados, é cada vez mais importante que seu uso nas pacientes que sofre de cancro evidência-está baseado. Mais pesquisa é necessário no premorbidity e na eficácia relativo a outros agentes farmacológicos.”

Source:
Journal reference:

Donovan, K.A. et al. (2019) Cannabis Use in Young Adult Cancer Patients. Journal of Adolescent and Young Adult Oncology. doi.org/10.1089/jayao.2019.0039.