O estudo identifica um denominador comum essa asma dos disparadores em ambientes favoráveis

Nas últimas décadas, a asma transformou-se um problema de saúde público principal. O aumento exponencial em casos da asma em países industrializados sobre os 50 anos passados é devido às mudanças importantes em nosso ambiente. Entre estes factores ambientais: higiene excessiva, poluição do ar ambiental ou infecções virais respiratórias… Até aqui, o mecanismo por que estes ambientes particulares induzem a revelação da asma era desconhecido.

Em um estudo publicado na imunologia da natureza, os professores Thomas Marichal (investigador associado de FRS-FNRS, Welbio e investigador de ERC) e o departamento de Fabrice (investigador de Welbio) e suas equipes de GIGA ULiège identificaram um actor totalmente inesperado que representasse um denominador comum em ambientes pro-alérgicos diferentes: os neutrófilo particulares são recrutados no pulmão e são responsáveis para a sensibilização e a revelação alérgicas da asma. Esta descoberta permite que as opções terapêuticas novas sejam consideradas na prevenção e no tratamento da asma alérgica.

Coraline Radermecker, primeiro autor do estudo, desenvolvido primeiramente três modelos da asma nos ratos induzidos por ambientes pro-alérgicos: higiene adicional, exposição ao ozônio (um poluente de ar) e infecção com o virus da gripe. Em todos os três modelos, somente em ratos expor aos ambientes pro-alérgicos e expor então aos ácaros, alérgenos principais nos seres humanos, sintomas desenvolvidos da asma alérgica. E seus colegas observaram então o recrutamento de pilhas imunes inatas específicas, neutrófilo, simplesmente nos pulmões dos ratos exps aos ambientes pro-alérgicos.

Estes neutrófilo, uma vez no pulmão, liberam seu ADN, causando a inflamação que é conducente à revelação de uma resposta alérgica tal como a asma. Surpreendentemente, quando os ratos expor aos ambientes pro-alérgicos são tratados com os compostos que impedem o recrutamento destes neutrófilo ou a liberação de seu ADN, os ratos são protegidos da revelação da doença.

Um estudo recente identificou este mesmo tipo de neutrófilo particulares no sangue de uma população de fazendeiros americanos, o Hutterites, expor a uma taxa muito alta de higiene e de ter uma predominância muito alta da asma alérgica. O último sugere que estes neutrófilo estejam igualmente actuais nos seres humanos e possam ser envolvidos na revelação da asma nos seres humanos.

Além, uma molécula já usada na medicina humana para tratar a fibrose cística, pulmozyme, poderia ser usada para destruir o ADN liberado por neutrófilo e impedir a revelação da asma nos povos exps aos ambientes de alto risco.

Source:
Journal reference:

Radermecker, C. et al. (2019) Locally instructed CXCR4hi neutrophils trigger environment-driven allergic asthma through the release of neutrophil extracellular traps. Nature Immunology. doi.org/10.1038/s41590-019-0496-9.