Gotas do rendimento anual ligadas à saúde reduzida do cérebro na Idade Média

Os adultos novos que experimentam gotas do rendimento anual de 25 por cento ou mais podem ser mais em risco de ter problemas de pensamento e a saúde reduzida do cérebro na Idade Média, de acordo com um estudo publicado em linha na neurologia®, o jornal médico da academia americana da neurologia.

A volatilidade da renda está a nível recorde desde que o princípio dos anos 80 e lá está crescendo a evidência que pode ter efeitos patentes na saúde. Nosso estudo seguiu participantes nos Estados Unidos sobre 30 anos, incluindo o tempo da retirada no final de 2000s quando muitos povos experimentaram a instabilidade financeira. Nossos resultados fornecem a evidência que a volatilidade de uma renda mais alta durante anos de ganho máximos está associada com o envelhecimento mais ruim do cérebro na Idade Média.”

Al Hazzouri de Adina Zeki, PhD, professor adjunto da epidemiologia na escola do carteiro de Colômbia do autor do sénior da saúde pública e do estudo

O estudo envolveu 3.287 povos que tinham 23 a 35 anos velhos no início do estudo e foram registrados na revelação do risco da artéria coronária em adultos novos (CARDIA) estudam, que inclui uma população racial diversa. Os participantes relataram a seus rendimentos domésticos anuais do pre-imposto cada três a cinco anos por 20 anos, desde 1990 até 2010.

Pesquisadores examinados como frequentemente a renda deixou cair assim como a porcentagem da mudança em uma renda entre 1990 e 2010 para cada participante. Baseado no número de gotas da renda, os participantes caíram em três grupos: 1.780 povos que não tiveram uma gota da renda; 1.108 quem teve uma gota de 25 por cento ou de mais da renda relatada precedente; e 399 povos que tiveram dois ou mais tais gotas.

Os participantes foram dados os testes do pensamento e da memória que mediram como bom terminaram tarefas e quanto hora tomaram para as terminar. Para um teste, os participantes usaram uma chave que emparelhasse os números 1 9 com símbolos. Então foram dados uma lista de números e tiveram que escrever para baixo os símbolos correspondentes.

Os pesquisadores encontraram que povos com dois ou mais gotas da renda teve uns desempenhos mais ruins em terminar tarefas do que povos sem gotas da renda. Em média, marcaram mais ruim por 3,74 pontos ou por 2,8 por cento.

“Para a referência, este mau desempenho é maior do que o que é normalmente visto devido a um ano no envelhecimento, que é equivalente a marcar mais ruim por somente 0,71 pontos na média ou nos 0,53 por cento,” disse primeira autor Leslie Grasset, PhD, do centro de pesquisa de Inserm no Bordéus, França.

Os participantes com mais renda deixam cair mais ruim igualmente marcado em quanto hora tomou para terminar algumas tarefas.

Os resultados eram os mesmos após os pesquisadores ajustados para outros factores que poderiam afectar habilidades de pensamento, tais como a hipertensão, o nível da educação, a actividade física e o fumo.

Não havia nenhuma diferença entre os grupos nos testes que mediram a memória verbal.

Do grupo de estudo, 707 participantes igualmente tiveram as varreduras de cérebro com ressonância magnética (MRI) no início o estudo e 20 anos de mais tarde para medir seu volume total do cérebro assim como os volumes de várias áreas do cérebro.

Os pesquisadores encontraram quando comparado aos povos sem gotas da renda, povos com dois ou mais gotas da renda teve o volume total menor do cérebro. Os povos com umas ou várias gotas da renda tinham reduzido igualmente a conectividade no cérebro, significando que havia menos conexões entre áreas diferentes do cérebro.

De acordo com os pesquisadores, pode haver diversas explicações a respeito de porque uma renda instável pode ter uma influência na saúde do cérebro, incluindo que os povos com uma renda mais baixa ou instável podem ter reduzido o acesso aos cuidados médicos de alta qualidade que podem conduzir a uma gestão mais ruim das doenças como o diabetes, ou à gestão de comportamentos insalubres tais como o fumo e beber. Quando o estudo não mostrar que as gotas na causa da renda reduziram a saúde do cérebro, reforça a necessidade para os estudos adicionais que examinam o papel que os factores sociais e financeiros jogam no envelhecimento do cérebro.

Source:
Journal reference:

Grasset, L., et al. (2019) Relation between 20-year income volatility and brain health in midlife. The CARDIA study. Neurology. doi.org/10.1212/WNL.0000000000008463.