A inibição de uma única enzima pode reduzir o thrombocytopenia heparina-induzido

A heparina é amplamente utilizada como um anticoagulante, mas evoca em alguns pacientes uma condição potencial risco de vida chamada BATIDA. Os cientistas clínicos em Ludwig-Maximilians-Universitaet (LMU) em Munich têm mostrado agora que a inibição de uma única enzima pode marcada reduzir este risco.

A heparina é empregada freqüentemente para abrandar o risco de formação do coágulo nas veias do pé depois da cirurgia, para tratar tromboses venosas e para impedir oclusões thrombotic das artérias nos pacientes em risco dos cardíaco de ataque. Contudo, o agente pode igualmente conduzir a uma redução nos números de plaquetas sangüínea (se não sabido como plaqueta) na circulação sanguínea - um efeito conhecido como o thrombocytopenia heparina-induzido (HIT).

Até 3% dos pacientes que são tratados com a heparina desenvolvem um subtipo imunològica provocado da BATIDA (tipo chamado II BATIDO), que é associada surpreendentemente com um aumento na incidência das tromboses (coágulos) nos vasos sanguíneos que são potencial risco de vida. A incorporação das plaqueta nos coágulos de sangue explica a ocorrência do thrombocytopenia.

Um estudo novo dirigido por Wolfgang Siess, professor de Pathobiochemistry cardiovascular no instituto de LMU para a profilaxia e na epidemiologia das doenças cardiovasculares (IPEK), tem demonstrado agora que este efeito secundário perigoso pode eficazmente ser impedido in vitro pela inibição de uma enzima específica. A descoberta fornece uma opção nova para o tratamento do tipo II BATIDO. O estudo foi realizado em colaboração com os grupos de investigação conduzidos pelo professor Michael Spannagl (o departamento da medicina da transfusão, da terapêutica e do Hemostaseology da pilha, do centro médico de LMU),

Professor Cristão Weber e Dr. Philipp von Hundelshausen (ambos os IPEK). Os resultados novos aparecem nos avanços do sangue do jornal.

A heparina é uma grande, negativamente - polisacárido linear cobrado compo de uma variedade de unidades de repetição. O tipo II BATIDO é causado pela formação de anticorpos que são dirigidos contra um complexo molecular específico compo da heparina e uma proteína chamada PF4, que é segregado por plaqueta. O domínio assim chamado de Fc dos ligamentos dos anticorpos ao receptor correspondente de Fc encontrado na superfície da plaqueta, que conduz à activação das pilhas. As plaqueta ativadas formam agregados e segregam as proteínas que negociam o emperramento das plaqueta (plaquetas sangüínea) à superfície interna dos vasos sanguíneos (endothelium) e a determinados tipos dos glóbulos brancos (monocytes e neutrófilo). Isto conduz à formação de thrombin e de fibrina, e junto com a plaqueta a activação provoca a formação do coágulo. - Daqui a heparina provoca realmente o efeito que se pretende inibir. “A patogénese complexa do tipo II BATIDO é compreendida bastante boa, mas a terapia padrão da desordem é suboptimal,” diz Siess.

Um estudo precedente tinha mostrado que a activação do receptor de Fc na membrana do plaqueta sangüínea induz a activação de uma enzima conhecida como a quinase da tirosina de Bruton (Btk).

Nós perguntamos conseqüentemente se os inibidores de Btk puderam poder reduzir a activação a jusante dos plaquetas sangüínea provocados pela estimulação do receptor de Fc. Nós encontramos que cada um dos seis inibidores que de Btk nós testamos podíamos certamente se reduzir não somente mas completamente ao Fc-receptor do bloco induziu a agregação e a secreção da plaqueta no sangue. Além, obstruíram toda a interacção dos plaquetas sangüínea com neutrófilo - assim impedindo a formação de tromboses potencialmente nocivos. Esta era uma surpresa muito agradável para nós, porque umas investigações mais adiantadas tinham mostrado que os inibidores de Btk poderiam somente parcialmente obstruir a activação da plaqueta induzida pela estimulação de um receptor diferente.”

Wolfgang Siess, professor de Pathobiochemistry cardiovascular no instituto de LMU para a profilaxia e na epidemiologia de doenças cardiovasculares

Os inibidores de Btk oferecem conseqüentemente uma opção terapêutica prometedora nova para o tipo II BATIDO, porque visam uma etapa adiantada e crucial no processo que causa a desordem. Os inibidores empregados no estudo têm a vantagem adicional que estiveram aprovados para o tratamento de outras doenças, ou testados com sucesso nos ensaios clínicos.

Source:
Journal reference:

Goldmann, L., et al. (2019) Oral Bruton tyrosine kinase inhibitors block activation of the platelet Fc receptor CD32a (FcγRIIA): a new option in HIT?. Blood Advances. doi.org/10.1182/bloodadvances.2019000617.