A droga nova pode simultaneamente ajudar a diagnosticar, para tratar o cancro gástrica

Uma droga nova, nomeada “FerriIridium”, pode simultaneamente ajudar a diagnosticar e tratar o cancro gástrica. Inicialmente fraca o precursor activo (prodrug), com base em um composto decontenção, é activado selectivamente somente depois o alcance do interior de uma pilha do tumor. Isto é possível devido à quantidade mais alta de presente do ferro lá, cientistas do relatório no jornal Angewandte Chemie. A activação selectiva reduz efeitos secundários indesejados.

A droga nova pode simultaneamente ajudar a diagnosticar, para tratar o cancro gástrica

Substâncias do transporte das pilhas de seu exterior a seu interior dobrando-se em regiões pequenas de sua membrana e então ligando as fora (endocytosis). Isto é como FerriIridium incorpora pilhas de alvo. As vesículas resultantes fundem então com lisosomas. Estes organelles da pilha têm um ambiente ácido que contenha íons trivalentes do ferro, Fe (III), e enzimas, com que desmontam os componentes da pilha que são já não necessários. Em células cancerosas gástricas, a concentração do Fe (III) dentro dos lisosomas é significativamente elevado.

Os cientistas que trabalham com Yu Chen e Hui Chao na universidade de Sun Yat-sen, no Guangzhou, e na universidade de Hunan da ciência e da tecnologia, Xiangtan (China) utilizaram esta característica. Equiparam FerriIridium com um grupo funcional especial (grupo do m-iminocatechol) esse ligam selectivamente ao Fe (III). Quando limitado, o grupo funcional é oxidado quando os íons do ferro forem reduzidos ao Fe (II). Sob as condições ácidas dentro dos lisosomas, o FerriIridium é então rachado em dois componentes: um irídio complexo e um derivado do benzoquinone.

Este mecanismo da reacção tem um efeito triplo. Primeiramente, os íons do Fe (II) podem catalisar uma reacção que produza radicais de hidróxilo altamente reactivos. Em segundo, os benzoquinones estão oxidando altamente. Com determinadas substâncias celulares, tais como NADPH, formam os hydroxyquinones, que reagem com o oxigênio para produzir a espécie radical do oxigênio, assim como a água oxigenada, que por sua vez pode reagir com o Fe (II) aos radicais de hidróxilo do produto. Os compostos do Benzoquinone podem igualmente interromper a respiração celular. Os radicais destroem os lisosomas, liberando seus índices. Em terceiro lugar, a rachadura de FerriIridium aumenta dràstica a fosforescência e a toxicidade do complexo do irídio. A fosforescência pode ser usada para diagnosticar o tumor. Mais importante ainda, contudo, o complexo tóxico do irídio é absorvido pelas mitocôndria, “os centrais eléctricas celulares”. Destrói-os de dentro para fora desmoronando seu potencial da membrana. Junto, estes efeitos conduzem à morte das células cancerosas e do encolhimento gástricas dos tumores, como demonstrado por experiências em linha celular e em ratos.

Source:
Journal reference:

Kuang, S. et al. (2020) FerriIridium: A Lysosome‐Targeting Iron(III)‐Activated Iridium(III) Prodrug for Chemotherapy in Gastric Cancer Cells. Angewandte Chemie. doi.org/10.1002/anie.201915828