Factores que podem contribuir ao risco elevado de desordem do uso do álcool na adolescência

O emprego errado do álcool é comum entre adolescentes, e aumenta o risco de desenvolver uma desordem crônica do uso do álcool (AUD) no futuro. Os adolescentes respondem diferentemente ao álcool comparado com os adultos -; tendem a ser menos sensíveis a alguns dos efeitos negativos de beber essa ajuda protegem contra a entrada excessiva, mas mais sensível a seus efeitos de recompensa e dedanificação. Isto pode contribuir às taxas altas de emprego errado do álcool na adolescência, assim como a um risco elevado de desenvolver o AUD. Contudo, como não todos os adolescentes que bebem o álcool desenvolverão um AUD, é importante identificar os factores que podem propensão de um aumento mais ulterior abusar o álcool neste grupo de idade.

Os pesquisadores da universidade estadual de New York em Binghamton estão interessados no impacto potencial de ter um anestésico geral, em virtude da evidência que a exposição à anestesia na adolescência pode causar as alterações comportáveis similares àquelas induzidas pelo álcool. Em um estudo novo publicado no alcoolismo do jornal: A pesquisa clínica e experimental, a equipa de investigação examinou se a exposição a um anestésico geral na adolescência adiantada poderia alterar respostas subseqüentes ao álcool em uma adolescência mais atrasada e na idade adulta.

O estudo foi conduzido usando ratos adolescentes laboratório-produzidos de acordo com directrizes restritas da protecção animal. Muitos dos resultados importantes em como os adolescentes respondem ao álcool foram ganhados até agora dos estudos animais bem conduzidos, porque é não-ético administrar o álcool à juventude humana para investigar seus efeitos sob circunstâncias controladas. Importante, a adolescente-compreensibilidade para o álcool parece ser similar nos ratos e nos seres humanos. Neste estudo, os ratos masculinos na adolescência adiantada (ao redor 4 semanas velho) foram expor para uma duração curto ao isoflurane (um anestésico geral), ou ao ar normal como um controle. Algumas semanas mais tarde (quando os ratos tinham meados de--tarde à adolescência, à adolescência atrasada, ou à idade adulta), os testes conduzidos para avaliar as respostas dos ratos às doses injetadas diferentes do álcool etílico (álcool).

Os pesquisadores encontraram que após a exposição ao isoflurane na adolescência, os ratos mostrados a sensibilidade reduzida às propriedades negativas do álcool etílico; por exemplo, a exposição reduziu a sensibilidade dos animais adolescentes (já baixos) ao sedativo e aos efeitos gosto-contrários do álcool. Os ratos igualmente beberam voluntàriamente mais álcool etílico, e o maior prejuízo álcool-induzido mostrado da memória, depois da exposição ao isoflurance na adolescência adiantada. Da nota, alguns destes efeitos persistiram na idade adulta. Os grupos separados de ratos foram expor ao isoflurane na idade adulta, um pouco do que a adolescência; contudo, nesta idade (quando o cérebro seria inteiramente maduro) o isoflurane não teve nenhum efeito em respostas subseqüentes ao álcool etílico.

Este estudo mostra pela primeira vez que uma única exposição ao anestésico em animais adolescentes pode alterar a sensibilidade do álcool etílico de um modo que amplia a resposta adolescente típica ao álcool. Nos seres humanos, conseqüentemente, é possível que a anestesia na adolescência poderia aumentar a susceptibilidade ao abuso de álcool e ao AUD futuros em uma população já vulnerável. Embora não seja prático ou desejável evitar a anestesia na adolescência quando necessário, os resultados têm implicações importantes para a pesquisa futura a compreensão visada e o abrandamento dos efeitos do emprego errado do álcool em jovens, e melhoram a informação do público sobre os factores de risco potenciais que podem aumentar o álcool e o abuso de substâncias durante a revelação.

Source:
Journal reference:

Landin, J.D., et al. (2020) General Anesthetic Exposure During Early Adolescence Persistently Alters Ethanol Responsesr. Alcoholism: Clinical and Experimental Research. doi.org/10.1111/acer.14291.