Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Os coordenadores inovam implante macio, flexível do cérebro

Os implantes do cérebro são vitais para a revelação futura dos tratamentos para doenças de Parkinson e epilepsia à depressão severa. São igualmente fundamentais para povos de ajuda com paralisia e fechado-na síndrome recuperam o movimento e a comunicação.

implante do cérebroCréditos de imagem: Mopic/Shutterstock.com

Contudo, os implantes actuais são construídos dos materiais rígidos que contrastam ao tecido macio do cérebro, que pode causar a inflamação e scar o tecido para construir ao longo do tempo.

Agora, uma equipe dos coordenadores no MIT estabeleceu um implante neural macio, flexível que pudesse dobrar e moldar aos contornos do cérebro sem danificar o tecido. Os eléctrodos macios poderiam ser usados para monitorar a actividade de cérebro e para estimular neurónios apenas como as disposições de eléctrodo existentes fazem que são feitas do metal.

3D que imprime os eléctrodos macios

Em um papel publicado esta semana nas comunicações da natureza do jornal, a equipe no MIT esboçou como as pontas de prova neurais e os dispositivos podem ser 3D impressos, tendo por resultado uma estrutura que fosse macia e flexível, como a borracha.

A equipe usou um plástico macio electricamente condutor para construir os eléctrodos. Geralmente, o polímero é sob a forma de um líquido, contudo, a equipe planejou uma maneira de fazer o material mais similar à viscosidade do dentífrico, que pode ser usado nas impressoras 3D convencionais.

O papel vê os coordenadores crafting dispositivos electrónicos macios numerosos do material. Um tal dispositivo era um eléctrodo elástico que fosse implantado em um cérebro do rato, onde pudesse gravar e monitorar a actividade de um único neurônio, assim demonstrando seu uso potencial em planejar métodos para tratar desordens neurológicas nos seres humanos.

Criando um polímero para o uso nas impressoras 3D

Os cientistas têm investigado intensa os polímeros de condução por um número de anos devido a suas propriedades originais tais como seu alto nível da flexibilidade combinado com a condutibilidade elétrica excelente. Actualmente, os polímeros condutores encontraram usos nas várias aplicações, incluindo revestimentos antiestáticos, sensores, os músculos artificiais, e mesmo a conversão de energia solar.

Quando as soluções do polímero forem usadas facilmente sob a forma de um pulverizador, fazendo a usada facilmente como um revestimento homogéneo, até aqui provou difícil usar-se no 2D ou nas estruturas 3D.

A equipe viu como a revelação de um polímero de condução imprimível abriria a porta a criar um número dispositivos electrónicos, não apenas eléctrodos do único-neurônio e de eléctrodos do cérebro.

Para fazer esta, a equipe alterou o sulfonate poli do poliestireno (3,4-ethylenedioxythiophene), conhecido como PEDOT: PSS, para criar um polímero de condução que possa ser 3D impressos. Geralmente, o material é sob a forma de um líquido porque é uma mistura dos nanofibers e da água. É os nanofibers que dão à substância sua condutibilidade.

as impressoras 3D não podem trabalhar com carcaças líquidas, assim que a equipe planejou uma maneira de engrossar o material sem reduzir sua condutibilidade. Para engrossar a carcaça a equipe liofilizou o material, tendo o efeito de remover o líquido e de sai-lo atrás de uma esponja do nanofiber. Em seguida, a equipe misturou os nanofibers com água e uma solução do solvente orgânico, criando um hydrogel água-baseado, uma substância elástico com os nanofibers encaixados.

As várias concentrações de nanofibers foram usadas para criar um número de hydrogels. A análise revelou que uma concentração de 5 a de 8% de nanofibers era óptima, criando uma carcaça com a consistência do dentífrico que poderia ser usada em uma impressora 3D e em uma condutibilidade elétrica excelente retida.

3D que imprime dispositivos neurológicos

A equipe no MIT estabeleceu uma maneira de criar uma vasta gama de dispositivos neurológicos de uma carcaça que fosse não somente altamente electricamente condutora mas também flexível como a borracha. O material superará as limitações de dispositivos rígidos precedentes, reduzindo o impacto prejudicial em tecido de cérebro circunvizinho.

Também, em utilizar técnicas da impressão 3D, os dispositivos consistirão capazes de ser por encomenda criado usando um método simples e eficaz na redução de custos.

Source:

Engineers 3D print soft, rubbery brain implants. Available at: https://www.eurekalert.org/pub_releases/2020-03/miot-e3p032720.php

Sarah Moore

Written by

Sarah Moore

After studying Psychology and then Neuroscience, Sarah quickly found her enjoyment for researching and writing research papers; turning to a passion to connect ideas with people through writing.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Moore, Sarah. (2020, March 30). Os coordenadores inovam implante macio, flexível do cérebro. News-Medical. Retrieved on July 05, 2020 from https://www.news-medical.net/news/20200330/Engineers-innovate-soft-flexible-brain-implant.aspx.

  • MLA

    Moore, Sarah. "Os coordenadores inovam implante macio, flexível do cérebro". News-Medical. 05 July 2020. <https://www.news-medical.net/news/20200330/Engineers-innovate-soft-flexible-brain-implant.aspx>.

  • Chicago

    Moore, Sarah. "Os coordenadores inovam implante macio, flexível do cérebro". News-Medical. https://www.news-medical.net/news/20200330/Engineers-innovate-soft-flexible-brain-implant.aspx. (accessed July 05, 2020).

  • Harvard

    Moore, Sarah. 2020. Os coordenadores inovam implante macio, flexível do cérebro. News-Medical, viewed 05 July 2020, https://www.news-medical.net/news/20200330/Engineers-innovate-soft-flexible-brain-implant.aspx.