Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

O perfil de PIM pode ajudar a identificar as proteínas expressadas pelos vírus transmitidos por mosquitos do aegypti do Aedes

A esperança de vida do mosquito do aegypti do Aedes varia de dois a quatro semanas segundo as circunstâncias ambientais, durante que a fêmea coloca aproximadamente mil ovos em uns recipientes água-enchidos perto dos ambientes humanos, porque precisa o sangue humano a fim reproduzir e terminar seu ciclo de vida. Os mosquitos masculinos faltam um sistema dealimentação, tão somente as fêmeas são em contacto com os seres humanos, actuando como vectores dos vírus de Mayaro, de dengue, de Chikunguya, da febre amarela, e do Zika, assim como de outros micróbios patogénicos. Até agora, não há nenhum método totalmente eficaz para evitar este contacto e a mordida de contaminação desta espécie.

A fim determinar as similaridades e as diferenças na predisposição intrínseca da desordem das proteínas expressadas por cada um destas arbovírus e obter uma “impressão digital” que as identificasse, um grupo de programas bioinformatic desenvolvidos por esta equipe dos pesquisadores foi aplicado para recuperar o perfil do método de deslocamento predeterminado® (PIM)®da polaridade e os mapas intrínsecos da predisposição da desordem das proteínas extraídas da base de dados de UniProt. Estes programas foram projectados sob a suposição que as seqüências de ácido aminado contêm a informação que define a capacidade de uma proteína dada à dobra na estrutura tridimensional original ou para ficar intrìnseca desorganizado e igualmente que determina sua função predominante.

Os perfis® de PIM e os mapas intrínsecos da predisposição da desordem foram comparados com os aqueles gerados para outros grupos da proteína, tais como as bactérias, os fungos e os vírus da base de dados de UniProt, Peptides Pilha-Penetrantes da base de dados do CPP, e dois grupos de proteínas intrìnseca desorganizado, completamente e parcialmente desorganizado. Esta análise comparativa caracterizou o grupo da arbovírus e diferenciou-o dos outros grupos de proteínas gerando as “impressões digitais específicas” que identificaram cada um elas.

Os autores encontraram 1736 proteínas do 559.228"” proteínas revistas na base de dados de UniProt que teve um perfil similar® de PIM às 29 proteínas transformadas expressadas pelos cinco grupos de arbovírus. Os resultados sugerem que a caracterização® do perfil de PIM possa ser útil para a identificação das proteínas expressadas pelos vírus artrópode-carregados transmitidos por mosquitos do aegypti do Aedes.

Source:
Journal reference:

Polanco, C., et al. (2020) Bioinformatics-based Identification of Proteins Expressed by Arthropod- borne Viruses Transmitted by Aedes Aegypti Mosquito. Current Proteomics. doi.org/10.2174/1570164617999200422123618.