Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Avaliando o uso do sofosbuvir e do daclatasvir para o tratamento de COVID-19

Diversos papéis novos no jornal da quimioterapia antimicrobial, publicado pela imprensa da universidade de Oxford, sugerem tratamentos bem sucedidos para COVID-19.

Três artigos pesquisaram toda o uso do sofosbuvir e do daclatasvir para o tratamento de COVID-19. Estes três papéis vêm de Irã, que desenvolveu seu próprio comprimido que contem o sofosbuvir e o daclatasvir, e estão em uma posição para testar isto em um grande ensaio clínico porque Irã é um país maciça impactado, relatando uns 2500 casos e 200 mortes um o dia.

Nenhuma terapia antivirosa eficaz tem sido encontrada actualmente para tratar COVID-19. O alvo das experimentações era avaliar se a adição do sofosbuvir e do daclatasvir, uma combinação da droga de uso geral para o tratamento da hepatite C, de resultados clínicos melhorados nos pacientes com o COVID-19 moderado ou severo.

Em uma experimentação, os pesquisadores recrutaram 66 pacientes e atribuíram-nos ao grupo do tratamento ou ao grupo de controle. A recuperação clínica no prazo de 14 dias foi conseguida por 88% no grupo do tratamento e por 67% no grupo de controle. O grupo do tratamento teve uma duração mediana significativamente mais curto da hospitalização (6 dias) do que o grupo de controle (8 dias). A incidência cumulativa da descarga do hospital era significativamente mais alta no grupo do tratamento contra o controle. Três pacientes morreram no grupo e nos cinco do tratamento no grupo de controle. Os eventos adversos não sérios foram relatados.

Em um outro estudo, os assuntos que sofrem de COVID-19 foram divididos em dois grupos com o um grupo que recebe o ribavirin e o outro sofosbuvir/daclatasvir de recepção. Todos os participantes igualmente receberam o tratamento padrão nacional recomendado que, naquele tempo, era hydroxychloroquine de lopinavir/ritonavir e de único-dose.

Os resultados indicaram que a duração de estada mediana era cinco dias para o grupo de sofosbuvir/daclatasvir e nove dias para o grupo do ribavirin. A mortalidade no grupo de sofosbuvir/daclatasvir era 6% e 33% para o grupo do ribavirin. O risco relativo de morte para os pacientes tratados com o sofosbuvir/daclatasvir era 0,17%.

Os resultados destes estudos sugerem que a adição de sofosbuvir e de daclatasvir ao cuidado padrão possa reduzir a duração de estadas do hospital para os pacientes COVID-19 comparados ao cuidado padrão apenas.

Apesar dos resultados iniciais encorajadores, está demasiado adiantada alcançar uma sentença. Os estudos maiores, bem-desenvolvidas são exigidos para confirmar nossos resultados. Uma rede de cinco ensaios clínicos randomised estabeleceu-se, para testar o sofosbuvir mais o daclatasvir dentro sobre 2000 pacientes com COVID-19, em Irã, em Brasil, em Egipto, e em África do Sul. Daqui até outubro, nós devemos saber se este tratamento poderia ser aprovado para o uso mundial.”

Shahin Merat, autor principal de um do jornal de artigos antimicrobiais da quimioterapia

Source:
Journal reference:

Eslami, G., et al. (2020) The impact of sofosbuvir/daclatasvir or ribavirin in patients with severe COVID-19. Journal of Antimicrobial Chemotherapy. doi.org/10.1093/jac/dkaa331.