Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Os cientistas identificam as moléculas chaves que negociam o radioresistance no cancro cerebral agressivo

Os cientistas identificaram as moléculas chaves que negociam o radioresistance no multiforme do glioblastoma; estas moléculas são um alvo potencial para o tratamento deste cancro cerebral.

O multiforme de Glioblastoma (GBM), é o tipo o mais agressivo de cancro cerebral. É tratado pela radioterapia combinada com a quimioterapia. Contudo, mesmo com tratamento, a taxa de sobrevivência de cinco anos para GBM é menos de 7%. Uma das causas principais para esta é que GBM desenvolve ràpida o radioresistance (resistência à radioterapia) por mecanismos desconhecidos.

Uma equipe dos cientistas da universidade do Hokkaido e a Universidade de Stanford revelaram um mecanismo por que GBM desenvolve o radioresistance. Sua pesquisa, publicada na Neuro-Oncologia do jornal avança, explica como duas moléculas chaves, Rab27b e epiregulin, interagem para contribuir ao radioresistance em GBM.

A função preliminar de Rab27b é regular o tráfico da proteína e a secreção das moléculas. Rab27b é sabido igualmente para promover a progressão e a metástase do tumor em diversos tipos de cancro. Por estas razões, os cientistas decidiram investigar se Rab27b teve qualquer papel a jogar em GBM.

Em cima da execução testa em linha celular humanas do glioblastoma, cientistas mostrou que a expressão de Rab27b estêve aumentada no mínimo sete dias após a exposição à radiação. O Knockdown de Rab27b aumentou a sensibilidade de pilhas do glioblastoma à irradiação.

Estes testes replicated em um modelo animal: as pilhas do glioblastoma foram injectadas nos ratos, que foram sujeitados então à radioterapia. O knockdown de Rab27b combinado com a radioterapia atrasou o crescimento do tumor e prolongou o tempo de sobrevivência do rato.

Porque Rab27b é um regulador da proteína que trafica, os cientistas continuaram seu trabalho, procurando outras moléculas que contribuem ao radioresistance.

Descobriram que as mudanças na expressão de Rab27b conduziram às mudanças correspondentes na expressão do epiregulin, um factor de crescimento cuja a expressão fosse sabida para aumentar nas células cancerosas; bater para baixo a expressão do epiregulin aumentou a sensibilidade à irradiação, como visto nas pilhas com knockdown de Rab27b.

Mais, os cientistas mostraram que a expressão aumentada de Rab27b e de epiregulin no glioblastoma induziu a proliferação das células cancerosas circunvizinhas, que poderiam contribuir a adquirir o radioresistance. Finalmente, analisaram dados da expressão genética de pacientes de GBM e encontraram que o upregulation de Rab27b e de epiregulin correlacionou com o prognóstico deficiente dos pacientes.

Identificando os papéis que Rab27b e o epiregulin jogam na revelação do radioresistance em GBM, os cientistas trouxeram à luz um alvo novo para a revelação da droga, e a uma que poderia significativamente aumentar a taxa de sobrevivência para GBM.

O Dr. Jin-Acta Nam e o Dr. Yasuhito Onodera são parte do grupo da biologia da radiação no centro global para a ciência biomedicável e a engenharia (GCB), uma colaboração entre a universidade do Hokkaido, Japão, e Universidade de Stanford, EUA. O grupo especializa-se na oncologia molecular e celular, e na biologia da radiação.

Source:
Journal reference:

Nishioka, S., et al. (2020) Rab27b contributes to radioresistance and exerts a paracrine effect via epiregulin in glioblastoma. Neuro-Oncology Advances. doi.org/10.1093/noajnl/vdaa091.