Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Anakinra mostra o potencial terapêutico nos pacientes COVID-19 crìtica doentes

Uma equipe de cientistas internacionais conduziu recentemente um ensaio clínico do aberto-nível para investigar os efeitos da imunoterapia personalizada em pacientes crìtica doentes da doença 2019 do coronavirus (COVID-19). Seus resultados sugerem esse tratamento com (IL-1) um antagonista do receptor interleukin-1, anakinra, podem melhorar a saída clínica dos pacientes COVID-19 severos. O estudo está actualmente disponível no server da pré-impressão do medRxiv*.

Fundo   

Desde a emergência da pandemia COVID-19 causada pelo coronavirus 2 da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV-2), diversos estudos foram feitos para compreender apresentações clínicas paciente-específicas da doença. É agora bem documentado que os pacientes COVID-19 crìtica doentes estão associados freqüentemente com o dysregulation do sistema imunitário, que é caracterizado desequilíbrio proinflammatory/anti-inflamatório proinflammatory aumentado pelo nível do cytokine, pelo nível reduzido do linfócito do sangue, e pelo nível aumentado do ferritin do sangue.

O nível do ferritin do sangue e a expressão de antígeno-DR. humano (HLA) da leucócito em monocytes de circulação são dois biomarkers bem examinados do dysregulation imune, que são usados clìnica para diagnosticar a síndrome da activação do macrófago (MAS) e o dysregulation imune complexo (CID), respectivamente.  

De acordo com a literatura publicada, o tratamento de pacientes do MAS com um antagonista do receptor IL-1, anakinra, tem benefícios da sobrevivência. Similarmente, o tratamento dos monocytes de circulação obtidos dos pacientes de CID e os pacientes COVID-19 com síndrome de aflição respiratória aguda (ARDS) com um antagonista IL-6, tocilizumab, podem restaurar a expressão de HLA-DR.

Projecto do estudo

Baseado nestas observações, os cientistas actuais do estudo conduziram um ensaio clínico da fase II do aberto-nível (experimentação do ESCAPE) para investigar a eficácia do tratamento do anakinra e o tocilizumab nos pacientes COVID-19 crìtica doentes apresentados com MAS ou CID, respectivamente.

Especificamente, seleccionaram 4420 ng/ml do ferritin como um nível da interrupção para diagnosticar o MAS nos pacientes COVID-19. Sua análise revelou aquela aproximadamente 25% dos pacientes COVID-19 com ARDS tem MAS (nível do ferritin mais de 4420 ng/ml) e o 75% permanecendo teve CID (nível inferior da expressão de HLA-DR em monocytes de circulação). Os pacientes com uma contagem seqüencial da avaliação da falha do órgão de mais de 2, ou aqueles diagnosticada com ARDS, foram considerados como estando com a deficiência orgânica do órgão.

Os pacientes com MAS ou CID foram tratados intravenosa com o anakinra ou o tocilizumab, respectivamente. Contudo, os pacientes de CID com níveis mais altamente do que o normais da aminotransferase foram tratados igualmente com o anakinra.

O resultado preliminar avaliado na experimentação era pelo menos uma redução a 25% na contagem da avaliação da falha do órgão e/ou pelo menos na indução de 50% na relação respiratória (relação PaO2/FiO2) no dia 8. além, a taxa de mortalidade no dia 28, mudança na contagem da avaliação da falha do órgão no dia 28, e a mudança em biomarkers do soro e a produção comunicada pelas células mononuclear (PBMC) do cytokine do sangue periférico foram avaliadas como resultados secundários.    

Observações importantes

Dos 102 pacientes registrados, 60 foram tratados com o anakinra e 42 foram tratados com o tocilizumab. As características da linha de base de todos os pacientes registrados eram as mesmas.

Aproximadamente 58% dos pacientes anakinra-tratados e 33% dos pacientes tocilizumab-tratados encontrou o resultado preliminar da experimentação. Contudo, não havia nenhuma diferença na taxa de mortalidade e na mudança na contagem da avaliação da falha do órgão no dia 28 entre os dois grupos do tratamento. Em relação a outros biomarkers, uma indução na contagem do linfócito e a relação respiratória foram observadas em pacientes anakinra-tratados no dia 8. Além disso, uma redução no nível do ferritin do sangue e uma indução na expressão de HLA-DR em monocytes foram observadas no dia 4 em pacientes anakinra-tratados e tocilizumab-tratados, respectivamente.

PBMCs obteve dos pacientes anakinra-tratados tinha mostrado a capacidade aumentada da produção IL-6 no dia 4, que foi associado por sua vez com a mais baixa severidade da doença no dia 28. Contudo, os pacientes tratados com o tocilizumab não mostraram tais características. Além disso, a duração da estada do hospital era mais baixa nos pacientes anakinra-tratados (20 dias) comparados àquele em pacientes tocilizumab-tratados (31 dias). Os pacientes trataram com o tocilizumab mostraram um risco mais alto de desenvolver uma infecção secundária do que pacientes anakinra-tratados.

Significado do estudo

A experimentação do ESCAPE apontou investigar os efeitos da imunoterapia personalizada nos pacientes COVID-19 crìtica doentes. Os pacientes registrados nesta experimentação são categorizados basearam em duas deficiências orgânicas imunes, MAS e CID.

Totais, os resultados revelaram que o tratamento do anakinra é mais eficaz do que o tratamento do tocilizumab em reduzir a contagem da avaliação da falha do órgão e em aumentar a relação respiratória dos pacientes COVID-19 que são categorizados pelo nível do ferritin do soro e pela expressão do monocyte HLA-DR.  

Observação *Important

o medRxiv publica os relatórios científicos preliminares que par-não são revistos e, não devem conseqüentemente ser considerados como conclusivos, guia a prática clínica/comportamento saúde-relacionado, ou tratado como a informação estabelecida.

Journal reference:
Dr. Sanchari Sinha Dutta

Written by

Dr. Sanchari Sinha Dutta

Dr. Sanchari Sinha Dutta is a science communicator who believes in spreading the power of science in every corner of the world. She has a Bachelor of Science (B.Sc.) degree and a Master's of Science (M.Sc.) in biology and human physiology. Following her Master's degree, Sanchari went on to study a Ph.D. in human physiology. She has authored more than 10 original research articles, all of which have been published in world renowned international journals.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Dutta, Sanchari Sinha. (2021, January 27). Anakinra mostra o potencial terapêutico nos pacientes COVID-19 crìtica doentes. News-Medical. Retrieved on June 16, 2021 from https://www.news-medical.net/news/20210127/Anakinra-shows-therapeutic-potential-in-critically-ill-COVID-19-patients.aspx.

  • MLA

    Dutta, Sanchari Sinha. "Anakinra mostra o potencial terapêutico nos pacientes COVID-19 crìtica doentes". News-Medical. 16 June 2021. <https://www.news-medical.net/news/20210127/Anakinra-shows-therapeutic-potential-in-critically-ill-COVID-19-patients.aspx>.

  • Chicago

    Dutta, Sanchari Sinha. "Anakinra mostra o potencial terapêutico nos pacientes COVID-19 crìtica doentes". News-Medical. https://www.news-medical.net/news/20210127/Anakinra-shows-therapeutic-potential-in-critically-ill-COVID-19-patients.aspx. (accessed June 16, 2021).

  • Harvard

    Dutta, Sanchari Sinha. 2021. Anakinra mostra o potencial terapêutico nos pacientes COVID-19 crìtica doentes. News-Medical, viewed 16 June 2021, https://www.news-medical.net/news/20210127/Anakinra-shows-therapeutic-potential-in-critically-ill-COVID-19-patients.aspx.