Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

Os cientistas desenvolvem a estratégia terapêutica RNA-baseada para a doença do dente de Charcot-Marie

A doença do dente de Charcot-Marie é a doença neurológica hereditária a mais comum no mundo. Afecta os nervos periféricos e causa a paralisia progressiva dos pés e das mãos.

Nenhum tratamento está actualmente disponível para lutar esta doença, que é devido ao overexpression de uma proteína específica. Os cientistas do CNRS, de INSERM, do AP-HP e das universidades de Paris-Saclay e de Paris desenvolveram uma terapia baseada em degradar o RNA da codificação para esta proteína nos ratos. Seu trabalho é patenteado e foi publicado o 9 de março de 2021 na biologia das comunicações.

Na biologia molecular, a transcrição é quando uma molécula do ADN é copiada para fazer uma molécula do RNA. Esta molécula do RNA “é traduzida então” em uma proteína, que possa executar funções diferentes dentro das pilhas de corpo. Quando uma proteína específica chamada PMP22 é feita duas vezes a tanto quanto o normal, faz com que o tipo 1A de doença genética do dente de Charcot-Marie torne-se. Esta superproduçao conduz à paralisia gradual dos pés e das mãos.

O desafio então, é estandardizar a expressão desta proteína nos povos com doença do dente de Charcot-Marie. Scientists1 franceses desenvolveram uma terapia patented2 baseada em reduzir a codificação do RNA para a proteína PMP22. Para conseguir este usaram outras moléculas pequenas do RNA capazes da interferência com um RNA específico, aqui esse que codifica PMP22, e de degradar ou de reduzir sua tradução na proteína.

A dificuldade em desenvolver esta terapia foi estabilizar este RNAs pequeno, conhecido como o RNA ou o siRNA de interferência pequeno, que degradam muito ràpida em ambientes biológicos. Os pesquisadores acoplaram-nos com uma outra molécula chamada o squalene, que é usado tipicamente na cosmetologia e na farmacologia.

Biocompatible, biodegradáveis e formar nanoparticles na água, squalene protege o siRNA da degradação. Igualmente controla o tamanho das partículas formadas e a quantidade de siRNA injetada.

Estes cientistas mostraram então, em modelos dos ratos para esta doença, isso que injeta estes RNAs de interferência completamente e restaurado ràpida da actividade e da força locomotoras do rato. Os siRNAs penetram os nervos periféricos, reforçam o myelin sheath3 em torno daqueles nervos, e normalizam a velocidade do sinal do nervo. O efeito do tratamento dura para três semanas para formulários severos e mais de dez semanas para uns formulários mais suaves da doença.

Esta estratégia terapêutica para neuropathies periféricos hereditários, desenvolvida inteiramente em França, é prova de conceito para uma medicina nova da precisão baseada na normalização do siRNA da expressão de um gene overexpressed. Será desenvolvida agora nos seres humanos com estudos pré-clínicos e clínicos.

Source:
Journal reference:

Boutary, S., et al. (2021) Squalenoyl siRNA PMP22 nanoparticles are effective in treating mouse models of Charcot-Marie-Tooth disease type 1 A. Communications Biology. doi.org/10.1038/s42003-021-01839-2.