Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

O estudo revela infecções pelo fungo de Histoplasma como a causa de morte principal nos povos com VIH

Uma série de autópsias executadas em um hospital da doença infecciosa nas Amazonas brasileiras revela que as infecções pelo fungo de Histoplasma são uma causa de morte principal nos povos com VIH. O estudo, conduzido pelo instituto de Barcelona para a saúde global (ISGlobal), uma instituição apoiada do “pela fundação de Caixa la”, em colaboração com uma equipe em Manaus, destaca a necessidade de executar métodos sensíveis para detectar estas infecções em regiões Histoplasma-endémicos.

A histoplasmose é uma infecção do pulmão causada pela inalação dos esporos de um fungo (Histoplasma), e é freqüente em algumas áreas dos E.U., da África, e da América Latina.

Na maioria dos indivíduos com um sistema imunitário funcional, a infecção causa sintomas suaves. Contudo, nos povos que immuno-são comprometidos, como povos com VIH, a infecção pode disseminar a outras partes do corpo e, se não tratado, conduzir à morte.

O problema é que a carga precisa da doença em regiões endémicos não está sabida, desde que seus sintomas são confundidos freqüentemente pela tuberculose.”

Pesquisador de Miguel Marti'nez, de ISGlobal e coordenador do estudo

No âmbito do projecto de CaDMIA - que desenvolveu e validou um método mìnima invasor da autópsia - a equipe de ISGlobal, em colaboração com pesquisadores brasileiros, executou uma série de autópsias completas em 61 pacientes que morreram em um hospital de Manaus especializado em doenças tropicais.

Usando técnicas microscópicas e moleculars, a equipa de investigação encontrou a evidência da infecção de Histoplasma em uma de três indivíduos morridos. Em uma porcentagem alta dos casos, que eram seropositivos, a infecção foi disseminada e tinha danificado severamente outros órgãos. Além, arranjar em seqüência genomic dos isolados sugere uma diversidade alta das tensões de Histoplasma que circulam na área.

“Apesar da mortalidade alta devido à histoplasmose, 75% dos casos não foram suspeitados clìnica,” diz Natalia Rakislova, primeiro autor do estudo.

Dado a incidência alta da histoplasmose, o desprezados da suspeita clínica, e a severidade da doença disseminada, os autores recomendam um tratamento antifungoso preventivo nos pacientes seriamente immunocompromised com VIH que vivem nas regiões onde Histoplasma é endémico. Os resultados do estudo igualmente destacam a necessidade de executar activamente testes rotineiros sensíveis para detectar este micróbio patogénico.

Source:
Journal reference:

Rakislova, N., et al. (2021) High prevalence and mortality due to Histoplasma capsulatum in the Brazilian Amazon: An autopsy study. PLOS Neglected Tropical Diseases. doi.org/10.1371/journal.pntd.0009286.