Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

A pesquisa sobre SARS-CoV-2 e pilhas dendrítico pode explicar porque o vírus é tão virulento

Os perfis sintomáticos dos pacientes que sofrem da doença 2019 do coronavirus (COVID-19) variam dos sintomas respiratórios suaves à pneumonia, à falha do multi-órgão, e à morte severas. A evidência crescente sugere que a severidade da doença dependa não somente da infecção viral mas igualmente de uma resposta pro-inflamatório do anfitrião despropositado, igualmente conhecida como a tempestade do cytokine.

A tempestade do cytokine é a conseqüência do hyperinflammation conduzida pela imunidade inata e é associada com a resposta imune desfavorável, o dano de tecido, e o prognóstico deficiente nos pacientes COVID-19.

Em um estudo recente liberou-se no server da pré-impressão do bioRxiv*, os pesquisadores sugerem que uma reacção inflamatório aberrante associada com o COVID-19 poderia ser um resultado do escape da detecção directa perto pedágio-como os receptors (TLRs). Além disso, os pesquisadores indicam que este fenômeno pôde ser a base da falta da imunidade eficiente ao coronavirus 2 da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV-2) cedo durante a infecção.

TLRs e pilhas dendrítico

As pilhas do sistema imunitário inato expressam os receptors do reconhecimento de padrões (PRRs) que reconhecem testes padrões moleculars micróbio-associados (PAMPs) e orquestram subseqüentemente uma resposta imune contra os micróbios patogénicos. Esta resposta forma a primeira linha de defesa.

Pedágio-como os receptors (TLRs) constitua a família a mais importante de PRRs. Alguns dos estes TLRs são ficados situados na superfície da pilha, onde são responsáveis para reconhecer invasores extracelulares tais como as bactérias, os fungos, e os vírus. Outro são ficados situados dentro das pilhas, onde são responsáveis para reconhecer invasores intracelulares como vírus.

Pilhas dendrítico (DCs), que são uma das pilhas chaves do sistema imunitário inato, função como uma ponte entre a imunidade inata e adaptável. Famílias expressas da DCS várias PRR, particularmente TLRs, que obtêm provocadas em cima da interacção com vírus.

TLRs comanda subseqüentemente a DCS para instruir t e B-pilhas, os elementos vitais do sistema imunitário adaptável, para montar uma resposta imune antivirosa eficiente.

Como SARS-CoV, SARS-CoV-2 a proteína do ponto (s) igualmente usa o receptor deconversão da enzima 2 (ACE2) para ganhar a entrada na pilha de anfitrião. Contudo, in silico as análises recentes sugerem que além da interacção com o ACE2, a proteína de S poderia igualmente potencial interagir com os membros da família de TLR, em particular TLR4, que é expressado abundante na DCS. Conseqüentemente, a sinalização TLR4 podia ser envolvida na indução de mediadores pro-inflamatórios.

Sobre o estudo

A equipe estudou a indução de TLR4, que é um TLR extracelular, activação na linha celular de TLR4-expressing e na DCS preliminar monocyte-derivada ser humano após a exposição à proteína de recombinação de S, pseudovirus SARS-CoV-2 ou as partículas SARS-CoV-2 preliminares. Nenhuns dos tratamentos induziram a activação TLR4 em uma linha celular de TLR4-expressing. Ser humano a DCS monocyte-derivada estes TLR4 inerente expresso mas não ACE2, e não foi observada para ser contaminada por partículas preliminares do vírus SARS-CoV-2.

A equipe igualmente investigou a indução do cytokine pela DCS monocyte-derivada ser humano. A exposição da DCS aos agonistas para TLRs extracelular conduziu à indução do tipo mim resposta da interferona (IFN), assim como aos cytokines. Contudo, a exposição ao isolado SARS-CoV-2 preliminar não conduziu à indução de nenhuns cytokines nem não dactilografou I IFN, indicando desse modo que as partículas SARS-CoV-2 preliminares não estão detectadas por nenhum PRRs extracelular na DCS tal como TLR2, TLR4, e TLR5.

Em seguida, a equipe ectopically expressou ACE2 na DCS monocyte-derivada ser humano e repetiu o tratamento com partículas do vírus SARS-CoV-2. Aqui, as partículas virais conduzem à infecção, assim como à produção dos cytokines e do cytokine pro-inflamatório (IL) interleukin-6 em ACE2 que expressa a DCS. Este resultado sugere que a réplica de SARS-CoV-2 provoque sensores virais cytosolic/intracelulares. Outros estudos igualmente sugeriram a participação de sensores virais intracelulares tais como RIG-I ou MDA5 na infecção SARS-CoV-2.

Implicações

“Nossos dados implicam que a transmembrana extracelular TLRs não detecta partículas do vírus SARS-CoV-2.”

No caso da activação incapaz da C.C., a infecção da pilha epitelial, a inflamação subseqüente, e dano de tecido puderam esclarecer a activação e a inflamação imunes iniciais. Esta activação podia igualmente contribuir à liberação subseqüente de PAMPs e de testes padrões moleculars dano-associados (DAMPs). Contudo, permanece obscura se estes sinais secundários podem instruir correctamente a DCS e se este pôde provocar as respostas inflamatórios fortes observadas durante COVID-19.

“Nosso encontrar que SARS-CoV-2 não está reconhecido por TLR4 pôde conseqüentemente ser um mecanismo de escape que conduz à activação incapaz da C.C. e à resposta inflamatório aberrante subseqüente.”

Observação *Important

o bioRxiv publica os relatórios científicos preliminares que par-não são revistos e, não devem conseqüentemente ser considerados como conclusivos, guia a prática clínica/comportamento saúde-relacionado, ou tratado como a informação estabelecida.

Journal reference:
Namita Mitra

Written by

Namita Mitra

After earning a bachelor’s degree in Veterinary Sciences and Animal Health  (BVSc) in 2013, Namita went on to pursue a Master of Veterinary Microbiology from GADVASU, India. Her Master’s research on the molecular and histopathological diagnosis of avian oncogenic viruses in poultry brought her two national awards. In 2013, she was conferred a doctoral degree in Animal Biotechnology that concluded with her research findings on expression profiling of apoptosis-associated genes in canine mammary tumors. Right after her graduation, Namita worked as Assistant Professor of Animal Biotechnology and taught the courses of Animal Cell Culture, Animal Genetic Engineering, and Molecular Immunology.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Namita Mitra, Namita Mitra. (2021, September 20). A pesquisa sobre SARS-CoV-2 e pilhas dendrítico pode explicar porque o vírus é tão virulento. News-Medical. Retrieved on December 05, 2021 from https://www.news-medical.net/news/20210920/Research-on-SARS-CoV-2-and-dendritic-cells-may-explain-why-virus-is-so-virulent.aspx.

  • MLA

    Namita Mitra, Namita Mitra. "A pesquisa sobre SARS-CoV-2 e pilhas dendrítico pode explicar porque o vírus é tão virulento". News-Medical. 05 December 2021. <https://www.news-medical.net/news/20210920/Research-on-SARS-CoV-2-and-dendritic-cells-may-explain-why-virus-is-so-virulent.aspx>.

  • Chicago

    Namita Mitra, Namita Mitra. "A pesquisa sobre SARS-CoV-2 e pilhas dendrítico pode explicar porque o vírus é tão virulento". News-Medical. https://www.news-medical.net/news/20210920/Research-on-SARS-CoV-2-and-dendritic-cells-may-explain-why-virus-is-so-virulent.aspx. (accessed December 05, 2021).

  • Harvard

    Namita Mitra, Namita Mitra. 2021. A pesquisa sobre SARS-CoV-2 e pilhas dendrítico pode explicar porque o vírus é tão virulento. News-Medical, viewed 05 December 2021, https://www.news-medical.net/news/20210920/Research-on-SARS-CoV-2-and-dendritic-cells-may-explain-why-virus-is-so-virulent.aspx.