Aviso: Esta página é uma tradução automática da página original em inglês. Por favor note uma vez que as traduções são geradas por máquinas, não tradução tudo será perfeita. Este site e suas páginas da Web destinam-se a ler em inglês. Qualquer tradução deste site e suas páginas da Web pode ser imprecisas e imprecisos no todo ou em parte. Esta tradução é fornecida como uma conveniência.

A vacina de recombinação experimental da proteína das mostras COVID-19 da fase 2 induz respostas prometedoras da imunogenicidade

O coronavirus 2 da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV-2), o agente causal do coronavirus 19 (COVID-19), foi relatado primeiramente em Wuhan, China, em dezembro de 2019. Devido à propagação rápida da doença, a Organização Mundial de Saúde (WHO) declarou COVID-19 como uma pandemia o 11 de março de 2020. O vírus até agora foi responsável para mais de 241 milhão infecções e 4,9 milhão mortes e está continuando a espalhar apesar dos esforços globais rápidos da vacinação.

Estudo: Segurança e imunogenicidade de CpG 1018 e da vacina de alumínio MVC-COV1901 da proteína do hidróxido-adjuvanted SARS-CoV-2 S-2P: resultados provisórios de uma experimentação em grande escala, dobro-cega, randomised, placebo-controlada da fase 2 em Taiwan. Crédito de imagem: PRO ESTÚDIO Shutterstock dos GÊMEOSEstudo: Segurança e imunogenicidade de CpG 1018 e da vacina de alumínio MVC-COV1901 da proteína do hidróxido-adjuvanted SARS-CoV-2 S-2P: resultados provisórios de uma experimentação em grande escala, dobro-cega, randomised, placebo-controlada da fase 2 em Taiwan. Crédito de imagem: PRO ESTÚDIO Shutterstock dos GÊMEOS

Uma vacina desenvolvida para lutar a pandemia COVID-19 é a vacina de recombinação da subunidade da proteína MVC-COV1901, com base na proteína estabilizada S-2P do ponto da pre-fusão SARS-CoV-2, adjuvanted com CpG 1018 e hidróxido de alumínio. A pesquisa precedente demonstrou a protecção total de MVC-COV1901 SARS-CoV-2 no tipo selvagem (WT) hamster contaminados. A vacina MVC-COV1901 foi mostrada para induzir a pilha de B e respostas imunes de célula T.

Em um estudo publicado na medicina respiratória de The Lancet, os pesquisadores executaram uma experimentação em grande escala, dobro-cega, placebo-controlada da fase dois para avaliar a eficácia, uma segurança, e uma resposta imune induzida da vacinação com MVC-COV1901.

O estudo

Colectivamente, 2510 de 3844 participantes relataram a experimentação dos efeitos adversos locais que seguem toda a dose da intervenção do estudo. Os participantes no grupo MVC-COV1901 relataram uns eventos mais adversos quando comparados ao grupo do placebo, que fossem relatados para ser suaves (categoria 1) moderar (categoria 2) na severidade. A dor no local da injecção era o evento adverso o mais geralmente relatado, de 2346 participantes no grupo MVC-COV1901 e de 128 participantes no grupo do placebo.

A fadiga ou o mal-estar eram o efeito secundário adverso sistemático o mais comum relatado, com o 1186 do grupo MVC-COV1901 e os 163 do grupo do placebo. A maioria de eventos adversos relatados auto-estavam limitando e resolvido no prazo de sete dias, com uma duração média de mais pouca de três dias.

Dentro dos participantes 65 anos de idade ou mais velhos, 838 experimentaram eventos adversos do local, e 324 experimentaram eventos adversos do sistema. Não havia nenhum efeito adverso que foi julgado para ser sério bastante ser relatado por alguns dos participantes. Contudo, um participante relatou a experimentação da paralisia facial provisória no grupo MCV-COV1901, que foi ligado à vacina.

O titer de neutralização do meio geométrico do anticorpo do PESO SARS-CoV-2 (GMT) era 662,3. A relação do GMT era 163,2 no dia 57 da experimentação, no subconjunto da imunogenicidade do por-protocolo do grupo da experimentação MVC-COV1901, de que ambos os valores eram significativamente mais altos do que o grupo do placebo. Dentro do grupo MVC-COV1901, os adultos mais novos indicaram um GMT mais alto (732,9) quando comparados aos adultos mais velhos (484,5).

Depois da conversão do GMT a IU/mL, no dia 57 da experimentação, os GMT de anticorpos de neutralização para todos os participantes no subconjunto da imunogenicidade do por-protocolo eram 408,5 UL/mL, 453,5 UL/mL para o grupo de uns adultos mais novos, e 295,7 UL/mL para o grupo de uns adultos mais velhos.

Do GMT do PESO SARS-CoV-2, a taxa do seroconversion no dia 57 era 99,8% no grupo MVC-COV1901, com os dois participantes que não mostram nenhum seroconversion. Dentro do grupo do placebo, nenhum seroconversion foi observado. No grupo adulto mais novo que recebeu a vacina MVC-COV1901, 99,9% indicaram o seroconversion, e no grupo de um adulto mais velho, 99,5% mostrados o seroconversion.

No subconjunto da imunogenicidade do por-protocolo do grupo MVC-COV1901, os GMT de IgG do anti-ponto aumentaram de 52,7 no dia 1 430,5 no dia 29. Em o dia 43, os níveis de anti-ponto IgG aumentaram mais a 8262,2 e permaneceram em 5745,4 no dia 57. Em toda a hora aponta dentro da experimentação, os adultos mais novos indicou uns GMT mais altos de IgG do anti-ponto do que os adultos mais velhos.

Depois da conversão a BAU/mL, no dia 57, os GMT de IgG do anti-ponto para o grupo do subconjunto da imunogenicidade do por-protocolo eram 524,0 BAU/mL, 594,7 para o grupo de uns adultos mais novos, e 354,5 BAU/mL para o grupo de uns adultos mais velhos.

Implicações

Este estudo mostra que a vacina MVC-COV1901 induz titers prometedores do anticorpo e tem um bom perfil de segurança. A vacina parece ser segura, bem-tolerado, e induz raramente efeitos secundários adversos em uns adultos mais novos e mais velhos. Os titers de neutralização altos de IgG do anticorpo e do anti-ponto são induzidos da vacinação com MVC-COV1901, e produz uma taxa do seroconversion de quase 100%.

Os autores utilizaram métodos de conversão do IU e do BAU do WHO para prever a eficácia clínica de MVC-COV1901, que foi mostrado para ser similar a ambos os métodos. Os resultados deste apoio experimental da fase II o avanço da vacina MVC-COV1901 em experimentações subseqüentes da fase III. O uso da emergência desta vacina tem sido concedido recentemente em Taiwan.  

Journal reference:
Colin Lightfoot

Written by

Colin Lightfoot

Colin graduated from the University of Chester with a B.Sc. in Biomedical Science in 2020. Since completing his undergraduate degree, he worked for NHS England as an Associate Practitioner, responsible for testing inpatients for COVID-19 on admission.

Citations

Please use one of the following formats to cite this article in your essay, paper or report:

  • APA

    Lightfoot, Colin. (2021, October 19). A vacina de recombinação experimental da proteína das mostras COVID-19 da fase 2 induz respostas prometedoras da imunogenicidade. News-Medical. Retrieved on January 25, 2022 from https://www.news-medical.net/news/20211019/Phase-2-trial-shows-COVID-19-recombinant-protein-vaccine-elicits-promising-immunogenicity-responses.aspx.

  • MLA

    Lightfoot, Colin. "A vacina de recombinação experimental da proteína das mostras COVID-19 da fase 2 induz respostas prometedoras da imunogenicidade". News-Medical. 25 January 2022. <https://www.news-medical.net/news/20211019/Phase-2-trial-shows-COVID-19-recombinant-protein-vaccine-elicits-promising-immunogenicity-responses.aspx>.

  • Chicago

    Lightfoot, Colin. "A vacina de recombinação experimental da proteína das mostras COVID-19 da fase 2 induz respostas prometedoras da imunogenicidade". News-Medical. https://www.news-medical.net/news/20211019/Phase-2-trial-shows-COVID-19-recombinant-protein-vaccine-elicits-promising-immunogenicity-responses.aspx. (accessed January 25, 2022).

  • Harvard

    Lightfoot, Colin. 2021. A vacina de recombinação experimental da proteína das mostras COVID-19 da fase 2 induz respostas prometedoras da imunogenicidade. News-Medical, viewed 25 January 2022, https://www.news-medical.net/news/20211019/Phase-2-trial-shows-COVID-19-recombinant-protein-vaccine-elicits-promising-immunogenicity-responses.aspx.